Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) articula as ações de dança de Porto Alegre, por meio da preservação da memória, do fomento à produção, formação de público, difusão e acesso às informações, atividades artístico-pedagógicas e constituição das relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na capital .


Bem Vindo!!!

30 de junho de 2013

Dançapontocom encerra logo mais às 16 Horas com Programação Gratuita

Festival Dançapontocom encerra neste domingo com
Debate e Mostra coreográfica

         Com sessões lotadas o IV Festival Dançapontocom chega ao seu final. Na programação do domingo, às 16h acontece os Diálogos Artísticos com participação de especialistas em arte, artistas que integraram a programação e público interessado no tema dos processos de criação em dança. A professora Suzy Weber, do Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da UFRGS, e a artista e o professora da Arena cursos, Maria Helena Bernardes, que acompanharam a apresentação de todos os trabalhos do Festival, farão um painel das singularidades e tendências da produção contemporânea local.
         Encerrando a programação, será realizada a MOSTRA COREOGRÀFICA, às 18h, no Teatro Renascença, com entrada franca. Dente os trabalhos, criações de Luciana Paludo, Andrea Spolaor, Daniela Zill, Luciana Hoppe, Marcio Canabarro, do Grupo Al-málgama, do NEcitra, do Grupo Experimental de Dança e de alunos do curso de graduação em Dança da UERGS. Outras informações e programação completa em http://cdancasmc.blogspot.com.br

 Programação da MOSTRA COREOGRÁFICA

1.      Um corpo terrorista?!, com Grupo Experimental de Dança
         A partir dos vídeos-virais de dança que proliferam na internet, o trabalho se debruça  sobre a  questão de qual corpo pode ser hoje terrorista, na rede, nas ruas, no espaço cênico. Orientação de Alessandro Rivellino e Airton Tomazzoni.

 2.      “Marcela Fenay/maculele”, com Lírio Cia de Dança
         Marcela Fenay é uma personagem/andarilha nascida em 2009 e até então tinha a  característica de visitar espetáculos (já visitou Luciana Paludo, Luciana Hoppe, Daggi Dornelles e Cia Municipal de Caxias do Sul).
 3.      “Contraponto”, com Al-málgama
         O trabalho de dança, por si só, parte de uma investigação de linguagens que busca uma identidade única a partir de fusões de estilos de danças e experimentações de movimentos corporais individuais, utilizando um instrumento: a máscara.

 4.      “Armadeira”, com Turma de 7º semestre do curso de Dança da UERGS
         A obra integra o projeto de pesquisa da coreógrafa que visa aprofundar a educação somática  como caminho para a presença cênica do bailarino. Assim, buscando dilatar a propriocepção,         a educação somática foi usada como suporte técnico de preparação corporal juntamente com a  exploração das qualidades expressivas de animais em situações de perigo

 5.      “Sala Vazia”, com Mimese cia de dança-coisa/Luciana Paludo
         ensaio poético, no qual, os elementos buscam diálogo no espaço cênico do palco.

 6.      “Madalena Alba”, com Daniele Zill
         O projeto Madalena Alba* surgiu como resultado dos últimos 2 anos de investigação corporal, somado ao semestre de pesquisa científica e acadêmica como aluna especial, junto ao Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas 2012/1, na disciplina de Performance e Espetacularidade, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

7.      “Inquietações”, com NECITRA
         A coreografia a ser apresentada é um work in process, parte de um tema que é espera, e as inquietações causadas por esse sentimento.

 8.      “Episódio X: partida”, com Junior Alceu Grandi e Luciana Hoppe
         Coreografia criada na Residência OUTRAS DANÇAS da FUNARTE em novembro de 2012.   A direção foi feita pela bailarina e coreógrafa uruguaia Adriana Belbussi Figueroa.

 9.      “Pra onde eu vou?”, com alunos UERGS
         O processo de investigação parte das sensações corporais, daquilo que do corpo emerge a   partir de exaustões, olhares, respiração. Imagens estranhas, figuras “bizarras”.

 10.    “Helio”, com Marcio Canabarro (artista convidado)
         Tendo como referência a obra do artista brasileiro Hélio Oiticica, especialmente com a noção de vestir uma obra, da supersensibilidade cinético, dialogando com obras de outros artistas como Tatsumi Orimoto, criador da performance "Bread men"; Simon Forti com a pesquisa do reading the news/ dancing the news e o uso de texto e Peter Pleyer, com a performance palestra "choreographing books".

28 de junho de 2013

FESTIVAL DANÇAPONTOCOM TEM INTENSA PROGRAMAÇAO NESSA SEXTA



Delicadeza tomando conta do espaço urbano. Revistar a provocadora obra de Nijinsky depois de um século. Conferir o vigor de uma das mais atuantes cias gaúchas em uma das mais caprichadas produções dos últimos anos. Motivos não faltam para conferir a programação desta sexta, 28 de junho, no Festival Dançapontocom, e com entrada franca ou a PREÇOS POPULARES ( por apenas 5 pilas com desconto para estudantes, melhor idade, classe artística, funcionários públicos).
A primeira atração é gratuita. E acontece em frente ao Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues (Erico Veríssimo, 307). A performance Flor, da bailarina Thais Petzhold, com participação do músico Celau Moreira e da bailarina Maria Falkembach.
E a programação segue com Fauno, do Grupo Jogo, que recebeu o Prêmio Açorianos de Dança, na categoria Melhor Direção. A apresentação traz a figura mitológica que inspirou Vaslav Nijinsky na sua provocadora criação, em 1912, com música de Debussy. Serão duas apresentações, na Sala Álvaro Moreyra, às 20h e às 20h40min.
As 21h é a vez de Re-sintos, da Muóvere Cia de Dança, coreografia de Jussara Miranda. Com cenografia de Juliano Rossi, vencedor do Prêmio Açorianos de Dança nessa categoria, tem uma carpintaria coreográfica vigorosa e potente em cenas que transitam pelo humor e violência por esses “recintos” que habitamos, por vezes no encontro afetuoso, libidinoso, por vezes na disputa e enfrentamento.
Outras informações e programação completa em http://cdancasmc.blogspot.com.br/



27 de junho de 2013

Confira a Programação do Quartas na Dança 2013




O projeto Quartas na Dança  reiniciou sua atividades no dia 19 de junho com a belíssima apresentação da Devir Tap Band. Até dezembro estão previstas mais sete edições do projeto. Confira:


A Programação  segue abaixo:
 

31 de Julho: “Bastidores”, de Território da Dança

14 de Agosto: “Al-málgama Tribal, 13 anos”, de Al-málgama

25 de Setembro: “Sopros”, de Cia H

02 de outubro: “Dom Quixote”, de Ballet Vera Bublitz

16 de outubro: “Tributo a Gipsy Kings”, de Gina Vitola

30 de outubro: “Como Montar um Baile” de Grupo Silvia Canarim

20 de novembro: “O Negro e o Rio Grande do Sul: A Religação Espiritual entre dois Mundos”, de Grupo de Música e Dança Afro-sul


          O Quartas na Dança nasceu com o objetivo de fomentar a produção coreográfica dos grupos e companhias da capital e garantir o acesso do público a essa produção. O projeto é realizado uma quarta-feira por mês, no Teatro Renascença, sempre às 20 horas.   

          Agendamentos para escolas públicas podem ser realizados com antecedência mínima de 15 dias. Outras informações podem ser obtidas através do fone 3289.8063.

C O M U N I C A D O





FESTIVAL DANÇAPONTOCOM: PROGRAMAÇÃO DE QUINTA TRANSFERIDA EM VIRTUDE DAS MANIFESTAÇÕES PREVISTAS NA CIDADE.
Comunicamos que, em virtude das manifestações previstas para hoje, a programação de quinta-feira do Festival Dançapontocom foi transferida para a sexta-feira, dia 28 de junho. A performance Flor, de Thais Petzhold, acontecerá amanhã, às 19 horas,  no saguão do Centro Municipal de Cultura.

25 de junho de 2013

IV Dançapontocom começa amanhã como homenagem ao Terpsí


O Centro de Dança da Secretaria da Cultura de Porto Alegre estará realizando de 26 a 30 de junho o IV Festival Dançapontocom. Voltado para a produção contemporânea em dança, o objetivo do evento é o de privilegiar o “encontro”, seja entre criadores, linguagens ou mesmo outros olhares e saberes. Para 2013, preparamos uma programação que privilegia a produção local. O Festival homenageará o Grupo Terpsí, criado em 1987. Na sua trajetória produziu obras emblemáticas, como “Quem é?” (que representou o Estado no Carlton Dance), “Orlando’s” (vendedor do Açorianos de Dança 96), “Ditos e Malditos”, entre outros.
Na plateia de cada espetáculo contaremos com as críticas Suzy Weber e Maria Helena Bernardes. A fim de propiciar um debate amplo e diversificado entre a dança e demais áreas, acontecerá no domingo (Dia 30) um debate aberto ao público com entrada franca com as referidas especialistas e os grupos participantes da programação.
O Festival Dançapontocom é realizado pelo Centro de Dança da Secretaria da Cultura de Porto Alegre com promoção do Clube do Assinante ZH. O valor ingresso é R$ 10,00 com desconto de 50% para Clube do Assinante ZH, estudantes, idosos e classe artística (exceto para as oficinas e videoconferências). 
Outras informações podem ser obtidas através do tel. 3289-8063, ou pelo e-mail (tomazzoni@smc.prefpoa.com.br).
Atenção: As inscrições para as oficinas estão com as inscrições abertas até o dia 19 de junho.
Programação:


Dia 26
Homenagem ao Grupo Terpsí Teatro Dança
Montagem “Casa das Especiarias + Painel de Homenagem”
Sala Álvaro Moreyra | 20h
“Casa das Especiarias: Instalação Coreográfica” é motivada pelas sensações provocadas pelas especiarias, um convite a novas experimentações provocadas inicialmente pelo olfato e paladar . Um lugar “casa” repleto de cheiros, sabores, amores e dores um lugar de visitas.
Particularmente, nesse novo processo de criação, é possível nos apropriarmos do espaço que dispomos e misturar linguagens como dança, música, projeções.  A obra emerge justamente dessa interação simultânea entre o real e o virtual, provocadores de muitas imagens. Cada fazer uma nova obra ” a obra só é transformadora no fazer… E nesse “fazer”, permanecemos em um eterno e produtivo processo de criação. A obra se modifica a partir de uma transformação que é dos bailarinos/ intérpretes, pois para a Terpsí Teatro de Dança, eles são a própria obra.
FICHA TÉCNICA: 
- Intérpretes Colaboradores: Angela Spiazzi, Edson Ferraz, , Francine Pressi, Gabriela Peixoto, Gelson Farias ,Natália Karam e Raul Voges .
- Direção e Concepção: Carlota
- - Interferências visuais : Darjá Cardozo
- Trilha musical original: Vagner Cunha
- Trilha pesquisada: Carlota Albuquerque
- Cenário: Raul Voges e Terpsí Teatro de Dança
- Figurinos: Anderson de Souza e alunos do Curso Tecnólogo em Design de Moda da Faculdade de Tecnologia – Senac / Porto Alegre, Terpsí e Andrew Tassinari
- Criação de Luz: Guto Greca
Painel de Homenagem ao grupo Terpsí, com a presença de Silvia da Silva Lopes, Luciano Alabarse, Leta Etges, Suzana Schoellkopf, Wagner Ferraz, Eneida Dreher, Sayonara Pereira e Sandra Sachs.
Dia 27
“Flor”, performance de Thais Petzhold
Entrada Principal | 18h
“Flor” é uma obra de grande delicadeza, realizada em tempo expandido (mais lento), com música instrumental de extrema qualidade, habitando locais urbanos com grande movimento de pedestres. Esta performance coreografada pela bailarina e coreógrafa Thaís Petzhold e musicada pelo violoncelista Celau Moreyra, tem como proposta levar os artistas Thaís e Celau, que compõem a “célula fixa”, para dialogarem com diferentes artistas, culturas e paisagens urbanas do Brasil. Para isso, artistas locais (residentes de cada estado escolhido) foram convidados para integrar a coreografia e música já existentes, criando um novo diálogo estético em cada cidade. “É a delicadeza da vida que brota a todo instante, sob nossos pés apressados, nosso olhar limitado, nossa mente congestionada. Um sutil chamado para a simplicidade das coisas essenciais que mantém o ciclo da vida (nascimento/morte) e que não percebemos com constância” (Thaís Petzhold)
Ficha Técnica
Concepção, Direção geral e bailarina: Thais Petzhold
Músico: Celau Moreyra
Bailarina convidada: Maria Falkembach
Figurinos: Antônio Rabadan
Dia 28
“Fauno”, do Grupo Jogo - Sala Álvaro Moreyra | 20h | 20h40min
“Re-sintos”, de Muovere Cia de Dança - Teatro Renascença | 21h
Fauno: Um fauno desperta, toca sua flauta e é atraído por ninfas, que o fazem transitar entre o real e o imaginário, entre o desejo que se realizou ou não, consciente ou inconscientemente, na realidade ou no sonho:‘Foi um sonho o que amei?’ O desejo no âmbito imaginário está presente no poema “L'après-midi d'un faune”, de StéphaneMallarmé, como uma descrição do próprio personagem de suas experiências, aspirações e pensamentos íntimos, criando imagens e questionamentos sobre o que se vivencia e o que se projeta a partir de nossa consciência ou da ausência dela.
FICHA TÉCNICA:
Direção: Alexandre Dill | Intérprete: Igor Pretto | Coreografia: Igor Pretto e Alexandre Dill | Cenário: Bruno Salvaterra | Figurino: Fabrízio Rodrigues | Direção de Fotografia e vídeo: Gabriel Faccini e Pedro Henrique Risse | Desenho de luz: Fabrício Simões| Execução de luz: Daniel Fetter | Trilha sonora: Bibiana Peteck e Lívia Santos | Arte Gráfica: Luiza Mendonça | Equipe de apoio: Thainá Gallo, Emanule de Menezes e Vicente Vargas | Divulgação e Produção: Palco Aberto Produtora | Realização: GRUPOJOGO de ExperimentAção Cênica

Re-sintos: Uma das obras mais importantes do repertório da Muovere, RE-SINTOS marca 15 anos de palcos, tendo se apresentado em sete Estados brasileiros. Titulado RECINTOS em 1998, a versão atual resulta num outro espetáculo que percebe o espaço como um dos centros da atividade humana, reinterpretando os padrões de comportamento e lugares com acidez, bom humor e critica. Inspirado na figura do cavalo, RE-SINTOS teve sua pesquisa estética no 4º Regimento da Cavalaria Montada da Brigada Militar de Porto Alegre.
“Na obra da companhia, aberto está um lugar de arte. De dentro para fora, ele nos propõe perguntas sobre a nossa topologia intima [...]. Re-sentir o espaço, para um novo povoar de sentimentos, com posturas em forma de arte corporal” (Cássia Navas, 2013)
FICHA TÉCNICA
Direção Geral e Coreográfica: Jussara Miranda
Direção artística: Diego Mac
Artista convidada/Direção Cênica: Jezebel de Carli
Bailarinos: Didi Pedone, Roberta Savian, Denis Gosch, William de Freitas e Letícia Paranhos
Cenografia: Juliano Rossi e Rudinei Morales
Figurinos: Antônio Rabadãn
Luz: Nara Maia
Direção de produção e relações Institucionais: Patrícia Machado
Cenotécnica: Sandra Santos. Assistente Eduardo  Richa
Conceito de Identidade Visual Original: Diego Mac
Designer e mantedor site & identidade visual: Sandro Ka
Site: Diego Leismann 
Dia 29
“Sobre o armário e a atividade dos objetos – um estudo para a natureza-móvel” – Sala de Pintura, Atelier Livre | 17h | 19h
“Circulação em dois atos com Tempostepegoquedelícia e bundaflor bundamor” – Sala Álvaro Moreyra | 19h30min
“Conseqüências”, Teatro Renascença | 21h
Sobre o armário e a atividade dos objetos – estudo para natureza-móvel: Instigadas pelo desejo de trabalhar com os detalhes e a precisa gestualidade da obra do pintor holandês Jan Vermeer, as artistas iniciaram explorando o universo dos objetos cotidianos e sua organização. No centro da cena encontra-se uma mulher que observa um armário. Ela o abre. Em uma ação contemplativa se depara com diversos objetos de natureza peculiar. Retirando-os do armário, os gestos da mulher acentuam e ampliam os detalhes que passam despercebidos no cotidiano, fazendo com que o objeto seja visto por uma outra óptica. Buscando através das imagens, o espectador é conduzido então, a um mundo de pequenas descobertas e sensações colecionadas, em uma atmosfera lúdica e intimista. “Penso dança como uma forma de dar dignidade ao movimento. No espetáculo, decidimos exaltar uma das atividades reconhecidas como menor, mas ao mesmo tempo tão cotidiana e ordinária, que é o fazer interno de uma casa, da arrumação, da organização. É a gestualidade à procura do encantamento com o objeto, lembrança na ação íntima e pessoal. Um devaneio estético.” (Bia Diamante)
CONCEPÇÃO E DIREÇÃO | Bia Diamante
CRIAÇÃO COREOGRÁFICA | Bia Diamante e Juliana Rutkowski
INTÉRPRETE | Juliana Rutkowski
CONCEPÇÃO VISUAL | Bernardo Vieira
Circulação em Dois Atos com Tempostepegoquedelícia e Bundaflor, Bundamor: Vencedor do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna de 2012, Circulação em Dois Atos consiste na apresentação através do país, dos espetáculos "Bundaflor Bundamor" e "Tempostepegodelícia", da Eduardo Severino Companhia de Dança.
Bundaflor Bundaflor: O trabalho discorre sobre a Bunda, uma abordagem humorística do imaginário brasileiro, brindando, dançando, brincando e extrapolando a banalização de tudo o que compõe o real e o simbólico desse universo traseiro.
Tempostepegoquedelícia: se propõe a desbotar as encarnações do feminino e do masculino, misturando marcadores de gênero e levando à cena sexualidades provisórias.

FICHA TÉCNICA
BUNDAFLOR, BUNDAMOR
Concepção coreográfica - Eduardo Severino e Luciano Tavares
Intérpretes/criadores - Luciano Tavares, Eduardo Severino e Mônica Dantas
TEMPOSTEPEGOQUEDELÍCIA
Concepção e coreografia – Eduardo Severino
Direção Cênica – Elcio Rossini e Eduardo Severino
Criadores Intérpretes – Luciano Tavares e Mônica Dantas
Elementos Cênicos – Élcio Rossini
Pesquisa musical – Luciano Tavares
Mixagem – Jorge Foques
Iluminação – Luka Ibarra
Produção: Luka Ibarra/ Ana Paula Reis/ Lucida Cultura

Assistente de produção: Débora Nunes
Conseqüências: A obra poético-coreográfica propõem um mergulho no universo das imagens geradas pelo movimento condicionado e, constantemente, reelaborado do corpo urbano. É um experimento fundamentado no diálogo entre desdobramentos de recursos técnicos e específicos das danças urbanas e, sendo estes, reutilizados a partir de um olhar contemporâneo, experimentando diferentes fontes sonoras e questionando maneiras tradicionais de apresentar o mesmo em cena. As cenas do espetáculo são consequências imagéticas e coreográficas destes experimentos. 
Ficha técnica
Direção geral e coreográfica: William Freitas
Direção executiva: Cristina Pereira
Iluminação: Moa Junior
Trilha Sonora: Flavio Aquino
Figurino: Anaclara Brito
Elenco: Ariele Betineli, Carini Pereira, Caroline Fossá, Eduardo Richa, Eduardo Bertoletti, Gabriela Pinho, Mariana D. Silva, Marco Chagas, Paola Danúbia e William Freitas.
Convidado: Cauan Feversani
Dia 30
Mesa de Debates. Sala Álvaro Moreyra | 16h
Mostra Coreográfica. Teatro Renascença | 18h
Mesa de Debates: Produção Contemporânea em dança de porto Alegre- convergências e divergências.
Artistas Convidadas: Suzy Weber e Maria Helena Bernardes
Com a presença dos artistas participantes da 4ª Edição do Festival Dançapontocom
Mostra coreográfica
Oficinas
Caminhos que levam à coreografia
Ministrante: Magda Loitzenbauer
De 26 a 28 de junho, 14h30min – 17h
Companhia de Arte
Práticas do Sensível – A linha entre o desenho e a dança
Ministrante: Mariana Konrad
Dia 29 de junho, 14h30min
Sala de Desenho II – Atelier Livre
Videoconferências
Terpsí em obras – Mostra de Trabalhos
Dia 29 de junho,10h30min
Sala PF Gastal | Usina do Gasômetro
Danca, música e pintura - uma interação
com Magda Loitzenbauer
Dia 29 de Junho,14h30min
Auditório Atelier Livre | Centro Municipal de Cultura

21 de junho de 2013

Programação de Final de Semana

Fluxo Cia de Dança em Leve minhas lembranças


Gênero: Hip Hop ContemporâneoDireção Artística: Aldo Gonçalves
Coreografia: Carlos Neto e Júlio César Santos
Teatro Renascença
21 e 22 de junho - 20h
23 de junho - 18h
Elenco: Bruna Borges, Carlos Neto, Gabriela Treteski, Júlio César Santos, Luiza Moré e Mariana Bohrer

Valores dos ingressos para cada espetáculo:
Inteira R$20,00Classe artística e estudantes R$15,00
Idosos: R$10,00



Workshop com Adilso Machado (cena 11) na Mostra Movimento e Palavra





A aula terá como objetivo condicionar e aumentar a percepção do corpo, refinando a relação entre corpo, pensamento e a ação (que denominamos dança); O objetivos é auxiliar os participantes nas suas atividades profissionais, em especial bailarinos, atores, músicos e atletas que tem no corpo sua principal ferramenta de trabalho. O intuito do curso é também de agregar conhecimento ao participante, para que este possa posteriormente utilizá-los nas suas atividades diárias.

Dias 22 e 23 de Junho
6 horas/aula
Sábado e domingo das 10h às 13h.
Investimento : R$ 100,00
Local: Sala 209/Usina do Gasômetro

14 de junho de 2013

IV Festival Dançapontocom (de 26 a 30 de junho, no Centro Municipal de Cultura)

O Centro de Dança da Secretaria da Cultura de Porto Alegre estará realizando de 26 a 30 de junho o IV Festival Dançapontocom. Voltado para a produção contemporânea em dança, o objetivo do evento é o de privilegiar o “encontro”, seja entre criadores, linguagens ou mesmo outros olhares e saberes. Para 2013, preparamos uma programação que privilegia a produção local. O Festival homenageará o Grupo Terpsí, criado em 1987. Na sua trajetória produziu obras emblemáticas, como “Quem é?” (que representou o Estado no Carlton Dance), “Orlando’s” (vendedor do Açorianos de Dança 96), “Ditos e Malditos”, entre outros.


Na plateia de cada espetáculo contaremos com as críticas Suzy Weber e Maria Helena Bernardes. A fim de propiciar um debate amplo e diversificado entre a dança e demais áreas, acontecerá no domingo (Dia 30) um debate aberto ao público com entrada franca com as referidas especialistas e os grupos participantes da programação.

O Festival Dançapontocom é realizado pelo Centro de Dança da Secretaria da Cultura de Porto Alegre com promoção do Clube do Assinante ZH. O valor ingresso é R$ 10,00 com desconto de 50% para Clube do Assinante ZH, estudantes, idosos e classe artística (exceto para as oficinas e videoconferências). 
Outras informações podem ser obtidas através do tel. 3289-8063, ou pelo e-mail (tomazzoni@smc.prefpoa.com.br).

Atenção: As inscrições para as oficinas estão com as inscrições abertas até o dia 19 de junho.

Programação:


Dia 26
Homenagem ao Grupo Terpsí Teatro Dança
Montagem “Casa das Especiarias + Painel de Homenagem”
Sala Álvaro Moreyra | 20h

“Casa das Especiarias: Instalação Coreográfica” é motivada pelas sensações provocadas pelas especiarias, um convite a novas experimentações provocadas inicialmente pelo olfato e paladar . Um lugar “casa” repleto de cheiros, sabores, amores e dores um lugar de visitas.
Particularmente, nesse novo processo de criação, é possível nos apropriarmos do espaço que dispomos e misturar linguagens como dança, música, projeções.  A obra emerge justamente dessa interação simultânea entre o real e o virtual, provocadores de muitas imagens. Cada fazer uma nova obra ” a obra só é transformadora no fazer… E nesse “fazer”, permanecemos em um eterno e produtivo processo de criação. A obra se modifica a partir de uma transformação que é dos bailarinos/ intérpretes, pois para a Terpsí Teatro de Dança, eles são a própria obra.

FICHA TÉCNICA: 
- Intérpretes Colaboradores: Angela Spiazzi, Edson Ferraz, , Francine Pressi, Gabriela Peixoto, Gelson Farias ,Natália Karam e Raul Voges .
- Direção e Concepção: Carlota
- - Interferências visuais : Darjá Cardozo
- Trilha musical original: Vagner Cunha
- Trilha pesquisada: Carlota Albuquerque
- Cenário: Raul Voges e Terpsí Teatro de Dança
- Figurinos: Anderson de Souza e alunos do Curso Tecnólogo em Design de Moda da Faculdade de Tecnologia – Senac / Porto Alegre, Terpsí e Andrew Tassinari
- Criação de Luz: Guto Greca

Painel de Homenagem ao grupo Terpsí, com a presença de Silvia da Silva Lopes, Luciano Alabarse, Leta Etges, Suzana Schoellkopf, Wagner Ferraz, Eneida Dreher, Sayonara Pereira e Sandra Sachs.

Dia 27
“Flor”, performance de Thais Petzhold
Entrada Principal | 18h

“Flor” é uma obra de grande delicadeza, realizada em tempo expandido (mais lento), com música instrumental de extrema qualidade, habitando locais urbanos com grande movimento de pedestres. Esta performance coreografada pela bailarina e coreógrafa Thaís Petzhold e musicada pelo violoncelista Celau Moreyra, tem como proposta levar os artistas Thaís e Celau, que compõem a “célula fixa”, para dialogarem com diferentes artistas, culturas e paisagens urbanas do Brasil. Para isso, artistas locais (residentes de cada estado escolhido) foram convidados para integrar a coreografia e música já existentes, criando um novo diálogo estético em cada cidade. “É a delicadeza da vida que brota a todo instante, sob nossos pés apressados, nosso olhar limitado, nossa mente congestionada. Um sutil chamado para a simplicidade das coisas essenciais que mantém o ciclo da vida (nascimento/morte) e que não percebemos com constância” (Thaís Petzhold)

Ficha Técnica
Concepção, Direção geral e bailarina: Thais Petzhold
Músico: Celau Moreyra
Bailarina convidada: Maria Falkembach
Figurinos: Antônio Rabadan


Dia 28
“Fauno”, do Grupo Jogo - Sala Álvaro Moreyra | 20h | 20h40min
“Re-cintos”, de Muovere Cia de Dança - Teatro Renascença | 21h

Fauno: Um fauno desperta, toca sua flauta e é atraído por ninfas, que o fazem transitar entre o real e o imaginário, entre o desejo que se realizou ou não, consciente ou inconscientemente, na realidade ou no sonho:‘Foi um sonho o que amei?’ O desejo no âmbito imaginário está presente no poema “L'après-midi d'un faune”, de StéphaneMallarmé, como uma descrição do próprio personagem de suas experiências, aspirações e pensamentos íntimos, criando imagens e questionamentos sobre o que se vivencia e o que se projeta a partir de nossa consciência ou da ausência dela.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Alexandre Dill | Intérprete: Igor Pretto | Coreografia: Igor Pretto e Alexandre Dill | Cenário: Bruno Salvaterra | Figurino: Fabrízio Rodrigues | Direção de Fotografia e vídeo: Gabriel Faccini e Pedro Henrique Risse | Desenho de luz: Fabrício Simões| Execução de luz: Daniel Fetter | Trilha sonora: Bibiana Peteck e Lívia Santos | Arte Gráfica: Luiza Mendonça | Equipe de apoio: Thainá Gallo, Emanule de Menezes e Vicente Vargas | Divulgação e Produção: Palco Aberto Produtora | Realização: GRUPOJOGO de ExperimentAção Cênica


Re-cintos: Uma das obras mais importantes do repertório da Muovere, RE-SINTOS marca 15 anos de palcos, tendo se apresentado em sete Estados brasileiros. Titulado RECINTOS em 1998, a versão atual resulta num outro espetáculo que percebe o espaço como um dos centros da atividade humana, reinterpretando os padrões de comportamento e lugares com acidez, bom humor e critica. Inspirado na figura do cavalo, RE-SINTOS teve sua pesquisa estética no 4º Regimento da Cavalaria Montada da Brigada Militar de Porto Alegre.
“Na obra da companhia, aberto está um lugar de arte. De dentro para fora, ele nos propõe perguntas sobre a nossa topologia intima [...]. Re-sentir o espaço, para um novo povoar de sentimentos, com posturas em forma de arte corporal” (Cássia Navas, 2013)


FICHA TÉCNICA
Direção Geral e Coreográfica: Jussara Miranda
Direção artística: Diego Mac
Artista convidada/Direção Cênica: Jezebel de Carli
Bailarinos: Didi Pedone, Roberta Savian, Denis Gosch, William de Freitas e Letícia Paranhos
Cenografia: Juliano Rossi e Rudinei Morales
Figurinos: Antônio Rabadãn
Luz: Nara Maia
Direção de produção e relações Institucionais: Patrícia Machado
Cenotécnica: Sandra Santos. Assistente Eduardo  Richa
Conceito de Identidade Visual Original: Diego Mac
Designer e mantedor site & identidade visual: Sandro Ka
Site: Diego Leismann 


Dia 29
“Sobre o armário e a atividade dos objetos – um estudo para a natureza-móvel” – Sala de Pintura, Atelier Livre | 17h | 19h
“Circulação em dois atos com Tempostepegoquedelícia e bundaflor bundamor” – Sala Álvaro Moreyra | 19h30min
“Conseqüências”, Teatro Renascença | 21h


Sobre o armário e a atividade dos objetos – estudo para natureza-móvel: Instigadas pelo desejo de trabalhar com os detalhes e a precisa gestualidade da obra do pintor holandês Jan Vermeer, as artistas iniciaram explorando o universo dos objetos cotidianos e sua organização. No centro da cena encontra-se uma mulher que observa um armário. Ela o abre. Em uma ação contemplativa se depara com diversos objetos de natureza peculiar. Retirando-os do armário, os gestos da mulher acentuam e ampliam os detalhes que passam despercebidos no cotidiano, fazendo com que o objeto seja visto por uma outra óptica. Buscando através das imagens, o espectador é conduzido então, a um mundo de pequenas descobertas e sensações colecionadas, em uma atmosfera lúdica e intimista. “Penso dança como uma forma de dar dignidade ao movimento. No espetáculo, decidimos exaltar uma das atividades reconhecidas como menor, mas ao mesmo tempo tão cotidiana e ordinária, que é o fazer interno de uma casa, da arrumação, da organização. É a gestualidade à procura do encantamento com o objeto, lembrança na ação íntima e pessoal. Um devaneio estético.” (Bia Diamante)

CONCEPÇÃO E DIREÇÃO | Bia Diamante
CRIAÇÃO COREOGRÁFICA | Bia Diamante e Juliana Rutkowski
INTÉRPRETE | Juliana Rutkowski
CONCEPÇÃO VISUAL | Bernardo Vieira

Circulação em Dois Atos com Tempostepegoquedelícia e Bundaflor, Bundamor: Vencedor do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna de 2012, Circulação em Dois Atos consiste na apresentação através do país, dos espetáculos "Bundaflor Bundamor" e "Tempostepegodelícia", da Eduardo Severino Companhia de Dança.
Bundaflor Bundaflor: O trabalho discorre sobre a Bunda, uma abordagem humorística do imaginário brasileiro, brindando, dançando, brincando e extrapolando a banalização de tudo o que compõe o real e o simbólico desse universo traseiro.
Tempostepegoquedelícia: se propõe a desbotar as encarnações do feminino e do masculino, misturando marcadores de gênero e levando à cena sexualidades provisórias.

FICHA TÉCNICA

BUNDAFLOR, BUNDAMOR
Concepção coreográfica - Eduardo Severino e Luciano Tavares
Intérpretes/criadores - Luciano Tavares, Eduardo Severino e Mônica Dantas

TEMPOSTEPEGOQUEDELÍCIA
Concepção e coreografia – Eduardo Severino
Direção Cênica – Elcio Rossini e Eduardo Severino
Criadores Intérpretes – Luciano Tavares e Mônica Dantas
Elementos Cênicos – Élcio Rossini

Pesquisa musical – Luciano Tavares
Mixagem – Jorge Foques
Iluminação – Luka Ibarra
Produção: Luka Ibarra/ Ana Paula Reis/ Lucida Cultura

Assistente de produção: Débora Nunes

Conseqüências: A obra poético-coreográfica propõem um mergulho no universo das imagens geradas pelo movimento condicionado e, constantemente, reelaborado do corpo urbano. É um experimento fundamentado no diálogo entre desdobramentos de recursos técnicos e específicos das danças urbanas e, sendo estes, reutilizados a partir de um olhar contemporâneo, experimentando diferentes fontes sonoras e questionando maneiras tradicionais de apresentar o mesmo em cena. As cenas do espetáculo são consequências imagéticas e coreográficas destes experimentos. 


Ficha técnica

Direção geral e coreográfica: William Freitas
Direção executiva: Cristina Pereira
Iluminação: Moa Junior
Trilha Sonora: Flavio Aquino
Figurino: Anaclara Brito
Elenco: Ariele Betineli, Carini Pereira, Caroline Fossá, Eduardo Richa, Eduardo Bertoletti, Gabriela Pinho, Mariana D. Silva, Marco Chagas, Paola Danúbia e William Freitas.
Convidado: Cauan Feversani

Dia 30
Mesa de Debates. Sala Álvaro Moreyra | 16h
Mostra Coreográfica. Teatro Renascença | 18h

Mesa de Debates: Produção Contemporânea em dança de porto Alegre- convergências e divergências.
Artistas Convidadas: Suzy Weber e Maria Helena Bernardes
Com a presença dos artistas participantes da 4ª Edição do Festival Dançapontocom

Mostra coreográfica

Oficinas

Caminhos que levam à coreografia
Ministrante: Magda Loitzenbauer
De 26 a 28 de junho, 14h30min – 17h
Companhia de Arte

Práticas do Sensível – A linha entre o desenho e a dança
Ministrante: Mariana Konrad
Dia 29 de junho, 14h30min
Sala de Desenho II – Atelier Livre


Videoconferências

Terpsí em obras – Mostra de Trabalhos
Dia 29 de junho,10h30min
Sala PF Gastal | Usina do Gasômetro

Danca, música e pintura - uma interação
com Magda Loitzenbauer
Dia 29 de Junho,14h30min
Auditório Atelier Livre | Centro Municipal de Cultura



12 de junho de 2013

AMERICANO DA DEVIR TAP BAND ABRE O QUARTAS NA DANÇA 2013



Na próxima quarta-feira, dia 19 de junho, o projeto Quartas na Dança realiza sua primeira edição em 2013 – após a reforma do Teatro Renascença - com o espetáculo Devir Tap Band. O trabalho congrega músicos e sapateadores que, juntos, fazem rock, blues e jazz. Clássicos de B.B. King, Ray Charles, Beatles, Elvis Presley e  Janis Joplin, entre outros, estão no programa.
O espetáculo – que foi indicado ao Prêmio Açorianos de Destaque em Sapateado 2012 - tem direção coreográfica de Gabriela Santos e direção musical de Ivan Beck. No elenco, os sapateadores Gabriela Santos, Leonardo Dias, Leonardo Stenzel e Simone Lyrio e os músicos Breno Acosta, Ivan Beck, e Rodrigo Massia.
  A apresentação será no Teatro Renascença (Av. Érico Veríssimo, 307), às 20 horas, com ingressos a R$ 10,00 (50% de desconto para estudantes, maiores de 60, classe artística e Clube do Assinante ZH). O Quartas na Dança é uma iniciativa do Centro de Dança da Secretaria da Cultura de Porto Alegre com promoção do Clube do Assinante ZH.
O Centro Municipal de Dança aceita agendamento prévio para escolas e instituições com ingresso franqueado. Outras informações podem ser obtidas através do tel. 3289-8063, ou pelo e-mail(tomazzoni@smc.prefpoa.com.br ).

7 de junho de 2013

Selecionados da Mostra Coreográfica do Festival Dançapontocom 2013


Os Centros de Dança da Secretaria Municipal da Cultura divulga os selecionados para a Mostra Coreográfica do Festival Dançapontocom. A Mostra acontecerá no dia 30 de junho, no Teatro Renascença, dentro da programação do Festival. A Mostra terá participações especiais do Grupo Experimental de Dança da Cidade e do bailarino Márcio Canabarro.
1.    “Armadeira”, com Turma de 7º semestre do curso de Dança da UERGS
2.    “Episódio X: partida”, com Junior Alceu Grandi e Luciana Hoppe
3.    “Sala Vazia”, com Mimese cia de dança-coisa
4.    “Inquietações”, com NECITRA
5.    “Pra onde eu vou?”, com alunos UERGS
6.    “Marcela Fenay/maculele”, com Lírio Cia de Dança
7.    “Contraponto”, com Al-málgama
8.    “Madalena Alba”, com Daniele Zill

9.    “Percurso Líquido”, com Purê de Batata de Grupo de Risco

6 de junho de 2013

O Centro de Dança abre inscrições para as Oficinas do IV Festival Dançapontocom

O Centro de Dança está com as inscrições abertas de 05 a 19 de junho para as oficinas “Caminhos que levam à coreografia”, ministrada por Magda Loitzenbauer e “Práticas do Sensível – a linha entre desenho e dança”, ministrada por Mariana Konrad. As oficinas fazem parte da programação do IV Festival Dançapontocom e  são gratuitas. Para inscrever-se, o interessado deve enviar breve currículo tomazzoni@smc.prefpoa.com.br.   Outras informações podem ser obtidas através do fone 3289.8065 ou 3289.8063. Veja a seguir horários e conteúdos das duas oficinas:


“Caminhos que levam à coreografia”
Ministrante: Magda Loitzenbauer
De 24 a 26 de junho, 14h30min – 17h
Companhia de Arte

“Práticas do Sensível – A linha entre o desenho e a dança”
Ministrante: Mariana Konrad
Dia 29 de junho, 14h30min
Sala de Desenho II – Atelier Livre



“Caminhos que levam à coreografia”
Oficina ministrada por Magda Loitzenbauer


“Esta é uma oficina de caráter lúdico, onde os participantes terão a oportunidade de experimentar algumas técnicas de improvisação dentro da dança contemporânea. Técnicas estas que procuram dar espaço ao movimento mais autêntico de cada um.
Na primeira parte da aula vamos "despertar" e ativar o corpo com exercícios de yoga e de energização. Através destes se cria uma espécie de diálogo interior, permitindo uma maior conexão entre mente e corpo e voltando a atenção para si e para o "aqui e agora".
Após esta fase partiremos em busca da expressão. Tarefas bem específicas dentro dos temas ritmo, espaço e intensidade darão aos participantes, através da improvisação, a possibilidade de descobrir novos movimentos e reinventar antigos padrões. Uma atmosfera de descontração e confiança - tão importantes ao processo criativo - será adquirida com a ajuda de jogos dramáticos.” Magda Loitzenbauer, oficineira

Para participar da oficina não é necessário ter experiência em dança.
Magda Loitzenbauer: Bailarina e professora com formação em Pedagogia da Dança Moderna no Conservatório de Dança e Música de Viena, além de formação em Yoga pelo SIVANADA/ Reith/Austria.


Número de participantes: até 20 pessoas


“Práticas do Sensível – A linha entre o desenho e a dança”
Oficina ministrada por Mariana Konrad

“A oficina tem como objetivo desenvolver uma sensibilidade de percepção da dança na criação de um desenho. Investigando diversos ritmos e a movimentação do corpo para a criação de linhas e registros gráficos.
Através de um olhar minucioso do movimento da mão e do corpo, é possível analisar a organização do corpo de cada um e a influência do som no ambiente e na realização de trabalhos, desde o estudo da linha e suas possibilidades de expressão até o desenvolvimento de desenhos de observação.
Experiências diversas na relação do carvão – dança – papel. Em momentos, enquanto um dança o outro desenha. E a aqui, não importa em primeira análise o resultado estético e artístico do desenho, mas sim a revelação do gesto em imagem no processo criativo.”  Mariana Konrad, oficineira

Mariana Konrad:Formada bacharel em Desenho pela UFRGS. Atua investigando possibilidades de diálogos entre linguagens percebendo o corpo como potencial de expressão. Realizou diversas intervenções urbanas em eventos, festivais e instituições, tais como Bienal do Mercosul e Bienal B, Casa de Cultura Mario Quintana e Fundação Ecarta.